0

Descomplicando a Maternidade - Dica de leitura



Descomplicando a Maternidade é o primeiro livro das mães, Ariane Oliveira e Andrea Charan. Seus perfis somam mais de 50 mil seguidores no Instagram e no Facebook e trazem dicas práticas de como deixar a maternidade mais leve. A Andrea e a Ariane embarcaram juntas no projeto “Descomplicando a Maternidade”e resolveram que levariam ao maior número de mães possíveis esse ideal. Foi aí que surgiram várias campanhas, vários sonhos (este livro é um deles) e um objetivo: convencer você a descomplicar com a gente. 

Descomplicando a MaternidadeAriane Oliveira e Andrea Charan
Ano: 2016 / Páginas: 124
Idioma: português 
Editora: Schoba



A resenha de hoje é especial, pois se trata do livro de uma amiga querida, eu acompanho o Blog Coisas da Lara desde que comecei o meu blog materno Mãe Para Toda Vida, entrei lá por acaso e nunca mais saí, a Andrea e a pequena Lara me conquistaram e desde essa época já houve muitas trocas de Coisas bacanas entre a gente. 

Quando soube do livro que ela ia lançar em parceria com a Ariane Oliveira, eu fiquei muito feliz, só fiquei mais feliz quando recebi um exemplar apaixonante. O livro tem um projeto gráfico incrível, todo colorido, com fotos de passo a passo dos tutoriais que elas ensinam, desde brincadeiras até as comidinhas divertidas que eu amo.



O livro foi trabalhado em duas partes, a primeira as autoras contam conforme suas experiências as expectativas, os medos, as culpas, as alegrias que a maternidade as proporcionou. A realidade do que é ser mãe! Essa foi minha parte preferida, me emocionei e me identifiquei muito, e pude conhecer um pouco mais sobre as meninas, me senti muito próxima a elas.

A segunda parte foi a preferida da minha filha Emilly de 4 anos, ela adora esse livro, nós nos divertimos muito aprendendo novas brincadeiras e coisas que podemos fazer juntas, o que nos deixou bem conectadas, uma verdadeira descomplicação na nossa vida. Me arrisquei a reproduzir as comidinhas divertidas da Andrea, achei que não levava jeito, mas descobri que quando você tenta, tudo descomplica.

Eu me arrisquei rsrs...

Me inspirei no livro


Obrigada pelo presente Andrea, eu me tornei ainda mais fã de você e da Ariane! O livro está lindo em todos os sentidos, um conteúdo feito com carinho e de linguagem acessível a todos, é impossível não recomendar a todas as mamães, as gravidinhas e aquelas que pretendem ter filhos. Gostaria de tê-lo lido quando ainda estava grávida. Fica a minha sugestão de hoje.

Sigam o instagram: @descomplicandoamaternidade
Compre pelo link: bit.do/descomplica
0

Indicação de leitura, Livro Eloah

Sinopse: O que você faria ao ver um filho a beira da morte
descubra lendo esta incrível história
Esta história é o desabafo de uma família (a minha) que viveu e vive uma história de amor, fé, superação e união. Um casal que teve uma filha deficiente visual.

Letieri Brum Bianchini
Número de páginas: 40
Edição: 1(2016)
Clube dos Autores


Recebi do escritor Letieri B. Bianchini através da indicação de uma amiga em comum, o livro Eloah, que conta a história de sua família, principalmente de sua filha caçula, a mesma que deu nome ao livro. Eloah chegou para mudar suas vidas, uma gravidez muito planejada, a tão deseja filha, tudo correndo bem, mas o nascimento dela trouxe algo inesperado, ela nasceu sem os globos oculares. Veio a terrível noticia de que ela nunca iria enxergar.

Como lidar com o problema? Quantos desafios teriam que enfrentar? Como seria a vida de Eloah? Tudo isso é o que descobrimos ao ler o relato verdadeiro desse pai. Quando digo verdadeiro é porque foi exatamente isso que ele me passou, não romantizou a situação, não escondeu os medos, fraquezas e nem os sentimentos contraditórios, mesmo aqueles dos quais não se orgulha.

A deficiência física não foi o único desafio que essa pequena guerreira teve que enfrentar, ela teve muito perto da morte, ela aguentou firme quando nem os médicos acreditavam em uma recuperação. Mas seus pais e sua irmã nunca perderam a fé, e posso afirmar que foi a fé e o amor que manteve Eloah viva, mas isso você só vai entender lendo o livro.

"... chegaram a achar que nós não entendiamos a situação, no entanto eles que não entendiam que por um filho se luta até o fim."


O que mais me surpreendeu no livro foi a parte que é relatado o preconceito, chega doer saber que acontece tantas situações ruins só por conta das pessoas serem preconceituosas, tem situações que eu realmente não imaginava, só quem passa por isso sabe o que realmente acontece e todo o mal e causa a vítima e aos envolvidos. E pelo que entendi ao longo da leitura, foi que o autor, resolveu dividir a sua história para evitar que tais ações continuem a machucar as pessoas, e esse é o motivo principal pelo qual quero ajudar a divulgar esse trabalho.

"Fico triste em pensar que o mundo vai ser muitas vezes cruel e amargo e que nem sempre estarei lá para defendê-la, mas farei tudo que puder para ensinar o caminho e que nem sempre a vida é justa, mas que se tiver coragem e vontade tudo será possivel."

Um livro emocionante, com uma história real, que não é como os contos de fada, mas que mostra que o amor pode sim trazer a felicidade para a vida das pessoas, e que a aceitação e o respeito são fundamentais para pessoas com necessidades especiais. Essa família tem todo meu respeito e apoio. Fiquei feliz em conhecer pessoas como vocês, pai, mãe e irmã, Eloah teve muita sorte de nascer nessa família, e isso será um grande diferencial em seu futuro.




Como já diz a capa, Eloah, uma historia de amor, fé, superação e união. Recomendo muito a leitura. Impossível ler e não ser emocionar, eu mesma chorei lendo em um ônibus lotado.

"... acredite, não importa a dificuldade se tem alguém por quem lutar."

Sobre o autor:
Sou Letieri Brum Bianchini, sou escritor e professor de capoeira. Descobri a escrita quando minha filha mais nova nasceu,devido a todos os obstáculos que passamos e as experiências boas e ruins. Decidi que,se eu dividir minha experiência de ser pai de uma filha especial com outros pais, eu possa ser útil. Não se tem muita coisa escrita por outros pais de crianças especiais, talvez por medo da exposição, ou até mesmo de falso julgamento de pessoas que não nos entendem,e quem passa por obstáculos iguais aos meus, acaba por escutar somente quem passa também. Espero que minha missão de ajudar aos pais de primeira viagem,e fazer a sociedade entender que,nossos filhos não são dignos de pena,não são coitados,nem são bizarros,e acreditem há quem pensa assim.

Mais informações:

Fan Page Eloah 

Onde encontrar o livro:

Livro Impresso
E-book no iTunes
E-book no Play Store
1

Celebrando o amor



No mundo de hoje, nada mais urgente do que amar, não falo de amor romântico, entre casais, falo de amor ao próximo, empatia, falo de se ver no outro! Para comprovar o que digo, basta olhar o noticiário de hoje!

Vamos celebrar sim o dia dos namorados, mas já pensou em amar todos os dias? Já pensou que lindo se o mundo amanhece com mais amor? Sem ódio, guerras, preconceitos, disputas por poder e crimes atrozes? Sonho com esse dia, mas enquanto ele não chega, vamos n[os fazendo nossa parte, educando nossos filhos para serem melhores e tentando deixar um mundo melhor para eles!

Fica aqui meu desejo simples e sabemos que complexo, que todos aprendam a amar o próximo como irmão, que pequenas atitudes e mudanças de comportamento mudem o mundo! Que nós sejamos a mudança! Que ninguém morra por ser gay, que sofra por causa de sua cor, que nenhuma mulher se machuque por simplesmente ser mulher, que nenhuma criança seja abusada por não saber se defender, que as guerras pela fé não matem! Se esse post não era o que você esperava, me desculpe, mas é isso mesmo que eu quero.

Está cada dia mais dificil viver nesse mundo, imagine o mundo que nosso filhos vão enfrentar? Vamos amar mais! Vamos valorizar a vida e ser feliz! Feliz dia dos namorados á todos todos, que essa não seja apenas mais uma data comercial, que ela seja cheia de amor!


Esse post faz parte também de uma blogagem coletiva materna, não deixe de conferir os blogs participantes:
Espaço das Mamães
Mãe Independente
Mães Apaixonadas
Ser Mãe
Trip Baby
O Mãe
Corre Ledinha
Mães Especialista
Mãe de Um Casal
Dulcineia
Da Vi e do Gui
0

DIVÓRCIO por Arnaldo Jabor


Meus amigos separados não cansam de perguntar como consegui ficar casado 30 anos com a mesma mulher. As mulheres sempre mais maldosas que os homens, não perguntam a minha esposa como ela consegue ficar casada com o mesmo homem, mas como ela consegue ficar casada comigo. Os jovens é que fazem as perguntas certas, ou seja, querem conhecer o segredo para manter um casamento por tanto tempo. Ninguém ensina isso nas escolas, pelo contrário. Não sou um especialista do ramo, como todos sabem, mas dito isso, minha resposta é mais ou menos a que segue:

Hoje em dia o divórcio é inevitável, não dá para escapar. Ninguém agüenta conviver com a mesma pessoa por uma eternidade. Eu, na realidade já estou em meu terceiro casamento – a única diferença é que casei três vezes com a mesma mulher.

Minha esposa, se não me engano está em seu quinto, porque ela pensou em pegar as malas mais vezes que eu. O segredo do casamento não é a harmonia eterna. Depois dos inevitáveis arranca-rabos, a solução é ponderar, se acalmar e partir de novo com a mesma mulher.

O segredo no fundo é renovar o casamento e não procurar um casamento novo. Isso exige alguns cuidados e preocupações que são esquecidos no dia-a-dia do casal.

De tempos em tempos, é preciso renovar a relação. De tempos em tempos é preciso voltar a namorar, voltar a cortejar, seduzir e ser seduzido. Há quanto tempo vocês não saem para dançar? Há quanto tempo você não tenta conquistá-la ou conquistá-lo como se seu par fosse um pretendente em potencial?

Há quanto tempo não fazem uma lua-de-mel, sem os filhos eternamente brigando para ter a sua irrestrita atenção?
Sem falar dos inúmeros quilos que se acrescentaram a você depois do casamento. Mulher e marido que se separam perdem 10 kg em um único mês, por que vocês não podem conseguir o mesmo?

Faça de conta que você está de caso novo. Se fosse um casamento novo, você certamente passaria a freqüentar lugares novos e desconhecidos, mudaria de casa ou apartamento, trocaria seu guarda-roupa, os discos, o corte de cabelo, a maquiagem. Mas tudo isso pode ser feito sem que você se separe de seu cônjuge.

Vamos ser honestos: ninguém agüenta a mesma mulher ou o mesmo marido por trinta anos com a mesma roupa, o mesmo batom, com os mesmos amigos, com as mesmas piadas. Muitas vezes não é a sua esposa que está ficando chata e mofada, é você, são seus próprios móveis com a mesma desbotada decoração.

Se você se divorciasse, certamente trocaria tudo, que é justamente um dos prazeres da separação. Quem se separa se encanta com a nova vida, a nova casa, um novo bairro, um novo circuito de amigos.


Não é preciso um divórcio litigioso para ter tudo isso. Basta mudar de lugares e interesses e não se deixar acomodar. Isso obviamente custa caro e muitas uniões se esfacelam porque o casal se recusa a pagar esses pequenos custos necessários para renovar um casamento.

Mas se você se separar, sua nova esposa vai querer novos filhos, novos móveis, novas roupas e você ainda terá a pensão dos filhos do casamento anterior.

Não existe essa tal “estabilidade do casamento” nem ela deveria ser almejada. O mundo muda, e você também, seu marido, sua esposa, seu bairro e seus amigos.

A melhor estratégia para salvar um casamento não é manter uma “relação estável”, mas saber mudar junto. Todo cônjuge precisa evoluir, estudar, aprimorar-se, interessar-se por coisas que jamais teria pensado em fazer no inicio do casamento. Você faz isso constantemente no trabalho, porque não fazer na própria família?

É o que seus filhos fazem desde que vieram ao mundo. Portanto descubra a nova mulher ou o novo homem que vive ao seu lado, em vez de sair por aí tentando descobrir um novo interessante par. Tenho certeza que seus filhos os respeitarão pela decisão de se manterem juntos e aprenderão a importante lição de como crescer e evoluir unidos apesar das desavenças. Brigas e arranca-rabos sempre ocorrerão: por isso de vez em quando é necessário se casar de novo, mas tente fazê-lo sempre com o mesmo par.

Como vê, NÃO EXISTE MÁGICA – EXISTE COMPROMISSO, COMPROMETIMENTO E TRABALHO – é isso que salva casamentos e famílias.”

Fonte: Citações Arnaldo Jabor
2

Mãe Solteira? - Blogagem coletiva dia das mães.

Oi pessoal eu venho ensaiando a voltar postar aqui há algum tempo, então achei que participar dessa blogagem coletiva sobre o dia das mães seria uma boa forma de retomar.  No final do post tem os links dos blogs participantes, aproveitem para visitar!


Nesse mundo não existem duas pessoas iguais, cada pessoa é diferente na sua forma de ser e viver, então porque as mães deveriam ser todas iguais? Não existe um padrão sobre a maternidade, não existe um modelo a ser seguido.

Desde criança eu sonhava com aquele padrão já conhecido e as vezes imposto pela sociedade, me casar, ter filhos e constituir uma família feliz, mas como o mundo não é uma fabrica de realização de desejos (tomei a liberdade de citar John Green rsrs) nem tudo saiu como o esperado, eu me apaixonei, me casei e tive uma filha, mas mesmo fazendo o possível e o impossível para manter essa família que se formou e construir um lar, a vida tomou outro rumo, e as vezes você tem que deixar ir e seguir um caminho onde todos podem ser felizes, o casamento acabou e eu me vi em um novo papel, você já deve ter pensado em mãe solteira, mas não gosto desse rotulo, me tornei mãe e pai e prefiro ser vista e tratada assim.

O pai da minha filha a vê uma vez por mês, então não é um pai presente que participa do dia-a-dia da filha, que divide as responsabilidades e ajuda a educar, mesmo sem querer assumir um papel tão importante e insubstituível eu assumi o papel de pai também, doa a quem doer todos sabemos que essa é a verdade, e também sabemos que a minha filha sempre vai carregar essa falta com ela, mesmo que eu me esforce e dê o melhor de mim. Por esse motivo levanto a bandeira por pais presentes, eu não tive contato com meu pai e sei as cicatrizes que ficam.

Eu poderia fazer um texto enorme falando sobre as dificuldades de ser mãe independente, de ser mãe e pai, de ser pãe e até mãe solteira caso você assim prefira, poderia falar sobre o preconceito e os julgamentos, mas prefiro falar sobre a satisfação que é ter minha filha ao meu lado, sobre o amor imenso que existe entre nós duas e a certeza de que não importa o que aconteceu ou venha acontecer, tudo valeu a pena, ela está aqui comigo.  Também não vou ficar fazendo floreios, tem horas que é difícil, difícil demais, muitas vezes o sentimento de culpa ou o medo de não dar conta de tudo vem nos atormentar, muitas vezes tanta gente só atrapalha em vez de ajudar, mas temos o melhor ao nosso lado, e aquele sorriso ou aquele eu te amo te dá tanta força que você nem acredita que é capaz de tanto por um serzinho tão pequeno.



Não importa que tipo de mãe você, casada, do lar, solteira, que trabalha fora, hétero ou não, não importa, você é mãe!! E é a vocês que dedico essa postagem, as mães de verdade que fazem qualquer coisa pelos seus filhos! Em post mais antigos eu já falei tanto sobre o que a maternidade significa pra mim, mas hoje vejo tudo com novos olhos, olhos mais maduros, e estou feliz e realizada como mãe. E desejo do fundo do coração que você também esteja. Que o mês das mães seja um daqueles meses emocionantes em que até os comerciais nos fazem chorar de emoção e orgulho de ser mãe!

Segue a lista dos blogues das mamães que participaram da blogagem coletiva.


Inventando com a mamãe

Nosso blog diário